Ocorreu um erro neste gadget

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011


Nunca fui bom com brincadeiras. Já brinquei de ser feliz, mas não consigo. Felicidade não é algo pra se brincar. Eu também não sou algo pra se brincar. Eu abro os meus olhos e começo a dar voltas pela cidade, pelas ruas, pelo tempo. Vejo milhares de pessoas mascaradas convivendo umas com as outras. Amar, nesse mundo, é escolher o mais belo e mais legal pra ficar. Amar não é só amar. Amar é escolher a dedo. Amar, pra eles, é uma brincadeira viciante. De tantas e tantas brincadeiras que circulam por nós, já nem sabemos mais quando algo é verdadeiro. Já nem sabemos se existe algo verdadeiro.

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

Zero.


As vezes conquistamos nossa liberdade, nos prendendo a coisas que nos dão a sensação de liberdade. Não importa quais os fins, eu sei, tudo o que você quer é fugir um pouco da realidade. E aquilo que mora dentro da realidade é o mundo. O seu mundo. Você tenta fugir do seu mundo, mas o seu mundo sempre te segue por onde quer que você fuja. Dentre muitas soluções, uma delas é fugir junto com seu mundo. Fugir pra algum lugar onde a realidade e os sonhos sejam uma só coisa.
A realidade é nosso remédio e o nosso veneno. Ela nos causa alegria e medo ao mesmo tempo. Ultimamente andei perdendo meu rumo. Me deitei nos braços do meu inimigo e ali descansei confortavelmente. Estou me perguntando se ganhei ou perdi. Se dou um sorriso ou me arrependo amargamente.
Dai começo a entender, que a minha vida não é tão ruim quanto eu achava. A vida das pessoas se baseia nas impressões que cada uma leva da vida. Eu posso ser mil eus para mil pessoas ao mesmo tempo. Cada uma me verá de forma diferente. Devo ser eu. Devo ser mil eus ou mais, a cada segundo que me antecipa da morte.
Eu vejo estampado nas ações de muita gente, o instinto. Agir por emoção totalmente sem manter a razão ás vezes pode ser um erro irreparável. E vice versa. Há infinitas verdades voando pelo mundo, muitas delas se tornam verdade pela emoção (fé) e muitas pela razão (ciência).
Mas eu te digo, a neutralidade me fascina. Ser o ponto nulo, o zero, o peso exato que equilibra a balança da sua mente.

Sonhos são só sonhos, então comece a agir. Mas aja na realidade, através de um sonho, até que os dois possam colidir. Até que algo que você nunca viu, possa acontecer.

A gente vive só 9 meses, o resto a gente morre. Um mundo novo nascerá, em algum lugar. Esse novo mundo tão desconhecido e tão familiar ao mesmo tempo, se chama "Você".

® Saulo Ribeiro

quarta-feira, 3 de agosto de 2011

segunda-feira, 13 de junho de 2011

Questionando.



"Quando você "ama" alguém, você deixa de se amar."
Querendo ou não, o ser humano esquece um pouco de si, para pensar em quem se ama. Isso acaba o tornando preso e dependente dessa pessoa. Ele acaba achando que a outra pessoa é sua fonte de felicidade, e que sem ela, tudo perderá o sentido. As vezes me pergunto se o "amor" é realmente bom como dizem por aí. Eu sei que tudo tem seu lado ruim, mas devo admitir que é um sentimento estranho.
Estou dizendo isso porque eu já amei alguém de verdade. Descobri que o amor é momentaneamente eterno. Um momento pode virar uma eterna memória. Acho que "sempre" e "nunca" não existem. Os seres humanos são imprevisíveis. Eles podem se surpreender consigo mesmos. Como eles podem garantir que sempre amarão alguém? O sempre, na verdade é o "hoje". Se eu amo alguém hoje, meu amor por essa pessoa hoje é eterno, porque não há dúvidas em mim. As vezes discordo desse amor que a sociedade ensina. Por que alguém tem que se limitar a amar só uma pessoa pela vida toda? Quem criou essa lei? Aliás, essa coisa toda é uma forma de organização social, para que o mundo não fique "louco"? O que existe por trás do amor? As vezes tenho que ser ousado para tentar questionar o sentimento mais puro de todos. De fato, o amor é incrível, mágico... mas o problema é que criaram regras para sentir o amor.
Eu já me apaixonei e amei várias pessoas ao mesmo tempo. Muitos falavam "Como você consegue isso?". Bom, eu não quero seguir regras dos outros. Se eles não seguem as minhas, porque devo seguir as deles? Cada um segue o que acha que é certo. O próprio ser humano se limita. Ele cria coisas para dominar a si mesmo. Acabam se tornando escravos do que criaram. Se criaram, também saberão descriar. Óbvio, toda criação tem um lado bom, mas tudo o que o ser humano acha que é imutável, é sinônimo de alienação. Criar algo e achar que esse algo nunca vai mudar ou acabar... é burrice. Eu sei que vivemos dentro disso tudo, e que é muito difícil encontrar brechas no sistema. É como um labirinto sem saída. Mas pensar na saída inexistente no labirinto, é ser ousado. Esse feito é para poucos. Os seres humanos, que se dizem tão inteligentes, passam a vida inteira sem pensar nas coisas mais óbvias e importantes que poderiam pensar. É lamentável sobreviver toda a sua vida, enquanto você sempre teve a opção de vivê-la. Será que o pensamento de quem sobrevive é igual ao pensamento de quem vive? Quem sobrevive tem um pensamento primitivo. Por mais que os outros tentem equilibrar as coisas e achar que todos são iguais, há uma enorme desigualdade de pensamento pairando, e eu devo ser neutro e racional para poder enxerga-la. Outra coisa que eu queria dizer, é que eu odeio gente que acha que sabe demais. Odeio gente que só quer falar e não quer ouvir. Odeio gente que quer ser mais inteligente intimidando ou sendo ignorante. Odeio gente que me corrige sem antes se corrigir. Odeio conversar com gente fanática. Odeio conversar com gente que acha que nunca está errada. Resumindo: Odeio gente com essas manias idiotas e primitivas.

"Só sei que nada sei, e acho que sei até demais."

® Saulo Ribeiro


segunda-feira, 23 de maio de 2011

Mãe, nunca vi um anjo negro.




"Mãe, nunca vi um anjo negro.
Não há anjos negros, mãe?
Todos os anjos são brancos.
Não há anjos como eu?
Olha, todas as asas são brancas.
Como os anjos que estão no céu.
Mãe, eu nunca vou ter asas?
Não há anjos como eu?
Mãe, não há meninos negros anjos, mãe?
Mãe, onde fica o nosso céu?
Queria ser um anjo mãe.
Não posso...
Não há anjos como eu."

(Poema da Encandescente)

quarta-feira, 11 de maio de 2011

Túmulo da inocência.




Quero dizer que, antes de ler, esteja ciente de que estará destruindo toda a inocência que o mundo lhe criou. Se você se identificar com o que está escrito, e realmente perceber que faz sentido, bem vindo.
Antes de mais nada quero dizer que sou agnóstico, acredito em Deus da minha forma, sem me aliar a igrejas, instituições religiosas, etc. Então não perca seu tempo vindo me encher o saco depois, se você for um alienado que acredita ainda em contos de fadas e não usa os olhos para enxergar a realidade.

Deixo bem claro que esses são meus pensamentos, e para quem não sabe, pensar é individual. Vou comentar breves fatos que fazem todo o sentido, pois se eu fosse comentar todos os fatos, teria que fazer um blog especialmente pra isso.

-


O único perigo que o Deus do cristianismo conhece é a ciência. A ciência possui explicações concretas e que contradizem a fé do homem cristão e as ações e palavras da igreja cristã.
__________________


Segundo o cristianismo, é da mulher que provém todo o mal do mundo. Por que empobrecem o valor existencial da mulher? Por que a igreja cristã impõe isso? Simples. Por que é da mulher também que provém a ciência. Se não fosse a mulher, o homem nunca teria aprendido a provar da árvore do conhecimento.

________________

A igreja inventou o pecado para tornar impossível a ciência, a cultura, toda a evolução e independência da mente humana. O pecado é a principal forma de dominação da igreja. Seguindo esse conceito, a ciência é o primeiro pecado de todos. O germe de todos os pecados. O pecado original. Como a igreja se defendia contra a ciência? “Expulsando o homem do paraíso”. A igreja não quer que o homem pense. Ela faz o homem sentir medo em questioná-la, devido aos seguintes argumentos:

- A igreja abusa da incerteza que o ser humano tem em relação a “O que vai acontecer a mim depois que eu morrer? Para onde vou? Vou deixar de existir?”. A igreja pegou esse ponto fraco e converteu a favor dela. O Deus cristão ameniza a dúvida e conforta os homens dizendo que existe o reino dos céus, e que você só tem uma única vida para seguir os passos do filho de Deus. Mas ao mesmo tempo, se não seguir os passos, você vai pro inferno. Então a partir disso o ser humano se torna decadente e limitado. Segundo a igreja, todos nós já nascemos pecadores. Mas qual a verdade oculta em relação a isso?
- Nos tornar marionetes decadentes e limitadas, sem pensamento algum e simplesmente concordar com tudo o que a igreja diz. Não permitir que acreditemos em tudo o que contradiz a igreja. Para aquelas pessoas que já estão sob controle da igreja, será bem difícil ler isso. No começo, quando começarem a perder a inocência mental e começar a questionar, vão se sentir culpados e achando que vão pro inferno, ou então que estou traindo “Deus”. Isso acontece, porque você estaria em uma transição da mentira para a verdade ainda.

______________

A igreja inventa uma doença e quer que você acredite que só a igreja pode curá-la. Essa é a hora do bote. Se você acreditar que está doente, você estará doente.
_____________

“A fé torna feliz, logo ela mente.”

Um breve questionamento:
“Acredito no que sinto. Se eu sinto, é porque é verdadeiro pra mim.”
Jogando isso em comparação com:
“A verdade é momentaneamente absoluta, e mudará assim que uma nova verdade derrubar as razões que sustentavam a verdade antiga, e assim por diante.”
Então acabo encontrando uma contradição. O que sinto não é mais tão verdadeiro assim. Mesmo que muitos não assumam, inconscientemente o ser humano cria coisas que lhe darão prazer. Isso, em outras palavras é o que chamam de “acredito no que sinto”. Me pergunto:
- Por que ter fé? Simples. Porque a idéia de “fé” conforta e dá prazer ao ser humano, e se ele sente esse prazer, é porque está acreditando que isso é verdadeiro. Acabamos de desvendar a verdadeira face da fé. A fé é, nada mais nada menos, do que o ser humano criar algo que faça sentir prazer e conforto, e depois acreditar nisso.

Trazendo a idéia de Fé para os fiéis da igreja, vejo que, desde pequenos, foram forçados a sentir prazer abaixando a cabeça para a igreja.
“Uma mentira contada mil vezes se torna uma verdade inquestionável”.
Ou seja, de tanto os pais e a sociedade botarem na cabeça da criança que a igreja (e tudo o que a igreja diz) é o certo, uma hora a criança vai acabar acreditando na mentira que seus pais insistem em chamar de “verdade”, talvez porque o mesmo aconteceu a eles quando eram crianças também. É um ciclo vicioso.
Pena é que os pais estão transformando seus filhos em pessoas limitadas a pensar. Querem que seus filhos acreditem nas suas verdades, mas não os deixam questioná-las, e nem deixam seus filhos ir atrás das verdades que mais os confortam. Os filhos que questionam as verdades dos pais, da igreja e da sociedade, geralmente são tachados de “rebeldes” e sofrem preconceito, devido ás suas idéias e a liberdade de seus pensamentos. Eles não conseguem pensar e querem que você também não consiga.
_____________

Segundas intenções no símbolo da cruz:

“Tudo o que sofre, tudo o que vem da cruz é divino. Todos estamos suspensos na cruz, por isso, consecutivamente somos divinos. Somente nós somos divinos! Somente nós sofremos. Somente nós nos ajoelhamos e deixamos de pensar para a igreja pensar por nós. (A ultima parte foi irônica mesmo).
____________

- Por que o ser humano quer chegar a perfeição?
- Porque ele quer imitar “Deus”.

Para o homem, chegar a perfeição é seguir os passos do “criador” e fazer o que ele faria. Imitar algo ou alguém não é ser perfeito. Como o nome já diz, imitações são só imitações. Imitar o original não é ser o original. Logo, descarto a idéia desse tipo de “perfeição”. Deixo ela para os “animais de rebanho” da igreja seguir. Eles já nem pensam, então é típico deles imitar o que nunca serão: Perfeitos.


® Saulo Ribeiro


quinta-feira, 5 de maio de 2011

Deserto




Moro em um deserto frio e sem sol. Um lugar onde apenas o vento guia meus pés e minha mente. Um lugar sem chegada ou saída. Um lugar perdido dentro de si mesmo. Estou cruzando a linha entre a vida e a morte, me perguntando se eu realmente mereço estar aqui. Quando achei que não haveria ninguém ao meu redor, minha fiel amiga tristeza veio me abraçar e me dizer que não estou só. Seu maior sonho é se tornar a felicidade algum dia. E eu acredito nela. Quero que ela faça de mim seu corpo para se transformar. De tanto andar em círculos, já não confio tanto no vento que me guia. Se não confio no vento que sinto, em quem vou confiar? De repente, meus heróis imaginários invencíveis estão caindo sem piedade ao chão. Aquela é a dor de ver alguém que fez algo eterno por você, indo embora pra nunca mais voltar? Essa dor me deixa triste, e me regenera com o dobro de meus sonhos. Mas não posso acreditar que algum dia alguém venha a mim outra vez. Apenas procuro pelo amor que se perdeu no deserto onde vivo. Carrego a certeza de nascer sozinho e morrer sozinho. Quem irá entender? Apenas aquele que estará sempre comigo: Eu.


® Saulo Ribeiro


segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Velocidade, Tecnologia e Caos.


Os novos dias tem pressa. As semanas se perdem no tempo e nem sabemos ao certo se acabaram de começar ou terminar. A vida tem pressa. Para muitos, o tempo é o pior inimigo. Para muitos, ele vale dinheiro, ele vale a própria sobrevivência. E nessa corrida contra todos para ver quem sobrevive melhor, estamos de novo em uma disputa animal. É, o ser humano sempre surpreende, e isso não quer dizer que a surpresa sempre seja boa.
Temos algo que realmente nos ajudou, e que nós criamos. A tecnologia.
"O ser humano criou um monstro para poder controlá-lo."
A tecnologia se deu a partir da revolução industrial e conquistou o mundo todo como um avanço para a humanidade. E como ainda estamos falando também em velocidade, a tecnologia passou a ser um acessório para agir, progredir, regredir com mais rapidez. A tecnologia é indispensável nos dias de hoje, de fato ela nos dá oportunidades únicas e todas ótimas. Mas a culpa que faz a tecnologia se transformar em um monstro, é toda do ser humano.
"Somos donos de nossas idéias". Se tudo isso veio de nossas mentes, então somos donos de tudo o que criamos. Se somos donos disso, não deveríamos ser escravizados pelo que criamos. Na verdade, estamos sendo escravizados por nós mesmos, porque tudo veio de nossa mente, até mesmo a alienação de deixar-se escravizado. Contradições.
Donos de si mesmos, seres livres, almas evoluídas, que pulsam amor de seus interiores constantemente. Assim deveríamos ser.
A tal velocidade do caos que se aproxima, poderíamos usá-la a nosso favor, e evoluir imediatamente, a partir dela.
Mas no dia em que nossas idéias forem maiores que nossa mente, nós não nos chamaremos mais de seres humanos.
Para alguns isso pode soar meio apocalíptico, mas se olharem a volta, comprovarão que já estamos em um Caos. E se ainda tens dúvida de que o apocalipse existe, é porque ainda não perceberam que estão dentro dele.
"O homem odeia os filósofos e a filosofia. O homem odeia a verdade."


Os outros tem pressa em sobreviver melhor.
Nós temos pressa em fazer valer a nossa existência.

® Saulo Ribeiro

domingo, 16 de janeiro de 2011

Talvez



Talvez eu acorde hoje.
Talvez as luzes se apaguem quando o dia nascer.
Talvez esse brilho eu nunca mais verei.
Talvez, é claro.
Talvez as crianças têm crescido rápido demais.
Talvez a inocência foi devorada pelo senso comum dos pais.
Talvez nem aja infância mais.
Talvez, é claro.
Talvez o mundo esteja mudando.
Talvez o mistério esteja nesse ou em outro plano.
Talvez eu sinta orgulho de ser humano.
Talvez, é claro.
Talvez a verdade seja cega, surda e muda.
Talvez nossa vontade de querer saber demais nos presenteie com grandes cicatrizes.
Talvez seremos os novos velhos eternos aprendizes.
Talvez, é claro.
Talvez eu não esteja mais vivo quando finalmente o meu sonho se realizar
E o meu mundo voltar a ser um mundo.
Talvez eu seguirei com toda a felicidade
Em saber que deixei rastros dessa mudança por aí,
Tão belos e imprevisíveis quanto os "Talvez" que vivi.
Com certeza, é claro.


® Saulo Ribeiro