Ocorreu um erro neste gadget

quinta-feira, 9 de setembro de 2010

Valores existenciais




O que importa? Valor social ou existencial? Vivência ou sobrevivência? Por que isso é tão relativo?
Acabei de ter uma briga com minha mãe sobre isso. Meus pensamentos não podem alimentar minha barriga, mas alimentam este ser a que vos escreve agora. Sobreviver é tentar viver e viver é desfrutar dessa vida, da melhor forma possível. Antes de tudo, temos que aprender a sobreviver nesse velho compasso ao qual chamamos de Terra. Depois de sobrevivermos, vamos viver pra que no futuro possa ser mais facil sobreviver. Eu sei que eu tenho mais valor existencial do que social, afinal, nem emprego em tenho ainda, e de fato, para muitas pessoas você só vale algo se o seu dinheiro também valer. É como se você, ao ver dos outros, os outros não enxergassem você como pessoa, mas sim como status, valor, renda.
Mas e o meu sentido em viver? Isso realmente não nos torna especiais? Isso, antes de todo esse capitalismo ganancioso começar, não era pra ser o encontro do seu real sentido em estar vivo? As pessoas se apegam fácil ao que elas podem ver a sua volta, e não tentam procurar coisas escondidas em si mesmas, que somente as mesmas podem encontrar. É sempre, apesar de fazer tudo por dinheiro, faz tudo isso também por benefício próprio, pra não precisar ser pisoteado por outras pessoas gananciosas, e isso acarreta uma inércia mental.
Neutralidade. Você consegue chegar a esse nível? Não é fácil, mas também não é difícil. É apenas neutro. Basta querer.
Se formos neutros tratando nossos valores existenciais e sociais de uma forma recíproca, seremos bem mais sábios do que fomos a um segundo atrás. Mantendo esse ritmo, estaremos dando início a uma nova geração neutra, descartando os erros passados e usando isso para o bem da humanidade e do planeta.
O mundo não é só trabalhar, ganhar dinheiro e morrer. O mundo é desvendar mistérios, soluções escondidas para que um dia um novo sol possa nascer e iluminar bilhões de mentes incríveis que tem o dever de defender cada feixe de luz desse sol. Assim, o mundo não seria tão imprevisível como é hoje e não voltaríamos a escuridão, mesmo com lâmpadas acesas.

Você acredita em si mesmo?
Regenere os seus sonhos, pise firme no chão, e voe o mais alto que puder. Até aonde nem mesmo o céu possa te alcançar.

Você tem tudo o que precisa, agora, boa viagem.


® Saulo Ribeiro

2 comentários:

Diego Araújo disse...

Certo amigo meu disse uma vez, “Nessa vida você só vale o que você tem”,
e ele me perguntou se ele não estava certo, eu pedi pare ele pensar se ele realmente
achava esse pensamento realmente certo e que depois eu iria dizer o que eu achava de verdade, ele continuou achando certo e me perguntou o que eu achava e eu lhe disse,
“Nessa vida você vale algo para alguém ou para o mundo dependendo de quão intenso você
foi para eles.”
Viver é complicado mesmo, para alguns viver se limita ao que eles podem ver
ou tocar, pessoas que vivem assim nunca foram capazes de sentir a si mesmas.

História sem fim disse...

Concordo com teu pensamento. As pessoas se limitam ao que vêem a sua volta, e isso acaba se tornando uma espécie de véu que impede as próprias de ver o que realmente deve ser visto, além de tudo.
_____________

Fico muito feliz em saber que ainda existem pessoas como você nesse mundo, que mantém esse pensamento vivo em si mesmo. Valeu pelo comentário Diego.